1/1

FUNDAÇÃO CASA DE RUI BARBOSA Rio de Janeiro, RJ, Brasil - 2013 -

RUI BARBOSA'S HOUSE FOUNDATION

Anexo Centro de Preservação de Bens Culturais da Fundação Casa de Rui Barbosa

 

 

Considerando a antiga sede do século XIX da Fundação que hoje abriga um museu e o Edifício-Sede dos anos 70, a proposta para o anexo estabelece uma referência contemporânea da instituição à cidade do Rio de Janeiro.

A arquitetura se apropria da fachada do edifício existente, ao incorporar a sala de exposições a esta face do prédio, de maneira a introduzi-la em seu interior, permitindo visibilidade desse volume aos usuários do prédio.

Enfatizando a situação de rua sem saída, em que o edifício do acervo e a sala de exposições se posicionam, propusemos uma grade contínua que envolve os limites do projeto, unindo, assim, as duas áreas do programa. Criando uma relação mais próxima ente a nova intervenção e o antigo Edifício-Sede.

Uma escada de emergência percorre três das quatro fachadas. Ao mesmo tempo em que serve como rota de fuga, essa instalação torna-se um elemento de alta importância estética, como recurso arquitetônico explorado na proposta.

Essa escada incrustada na fachada tem como fechamento, na face externa, uma pele montada em réguas metálicas de seção retangular, cujo acabamento em pintura de cores diversas resulta em ilusões de ótica e em um curioso movimento na instalação estática.

A particular morfologia do volume proposto surge da combinação de duas operações: para os andares de acervo, trabalhamos com plantas retangulares, eficientes, moduladas em uma retícula de 120 centímetros. No térreo e no último pavimento, seguimos linhas resultantes dos recuos do terreno irregular. Sendo assim, o último andar, destinado aos escritórios, resulta em um tipo de periscópio flutuante sobre o prisma de acervos.

Essa geometria singular procura refletir a vontade da Fundação, de se manter ativa e contemporânea.

 

 

Casa de Rui Barbosa Foundation's Cultural Goods Preservation Center  Annex

 

 

Considered the XIX’s former Foundation’s main office that is today a museum and the 70’s Headquarters’ building, the new construction is established as an institutional contemporary reference to the city of Rio de Janeiro.

The architecture takes over the facade of the existing building and incorporates the exhibition space to this very facade. By introducing the interior of this space onto the facade it allows the users to become more aware of the existing volume.

In order to strengthen this secluded location we proposed to outline the edges of the project area with a fence, unifying both parts of the program. Through this gesture the project gained the unity of a complex by establishing a closer relationship between the existing Headquarters office and the new intervention.

The emergency staircase runs along three out of the four facades. At the same time that it is used for egress this element incorporates great aesthetic importance and is explored as an important feature in the architectural proposal. 

The facade-encrusted stairs are enveloped by a skin composed by rectangle profile metal strips painted in multiple colors which create an optical illusion and a curious sensation of movement onto a rather static installation.

The proposed morphology resulted from the combination of two volume typologies: One, rectangular and efficient, modulated onto a 120 cm grid, correspondent to the main collection floor; the second one, shaped after the site’s setback outline, corresponding to the ground floor and last floor. Hosting the exhibition spaces, the last floor can be perceived as a floating periscope above the main collection prism.

This unique geometry reflects the desire the Foundation has to remaining active and contemporary.