1/1

BICHO NOMADE

BICHO NÔMADE  - 2015 -

Prêmios / Awards

 

AAP The American Architecture Prize

Firm of the Year 2017 - Residential Interior Design category (shortlisted)

Publicações / Press

bamboo n53

bamboo.com

divisare.com

 

 

À convite da revista Bamboo, para o tema “Casa Nômade”, transportável, desmontável e sustentável, desenvolvemos o projeto que chamamos BICHO NÔMADE.

O Bicho Nômade é um abrigo idealizado para ser montado em diversos tipos de terreno, no formato de hotel de um quarto só, de um escritório móvel ou de outra atividade desejada.

Foi batizado de Bicho, devido à inspiração nos experimentos de Lygia Clark que explorou a relação entre objeto e público; Nômade, por sua capacidade de movimento nas extremidades, de deslocamento, de rotação e, por fim, de mimetismo, conforme o clima e o situ em que é pousado.

Montado com painéis estruturais e vidro, suas principais funções são possíveis devido ao seu organismo de articulações e mobilidade, com rolamento esférico que possibilita giro de 360 graus e pistões distribuídos nos módulos de cobertura e de fachadas que promovem movimentos e desenhos de luz e sombra diversos, além de abrigo ou escancaro quando abertos, semiabertos ou fechados.

Poderosas corrediças telescópicas estendem ou recolhem a área de convivência exterior, otimizando o espaço útil.

Consideramos vidros com resistências de controle térmico e com controle de transparência, blackout e fluxo de descarga higiênica a vácuo.

Consideramos aquecimento e iluminação solar e recepção de mídia via satélite na superfície desejada.

O Bicho Nômade pretende ser o despertador de sensações e sentimentos de estar abrigado em um espaço infinito. Permite isolamento e convivência. Provoca contemplação e namoro, faz ouvir o som do silêncio.

O Bicho Nômade deve ser provocado para que todos os seus estados potenciais de percepção sejam expostos ao abrir e fechar, girar e deslocar, montar e desmontar, empilhar, transportar e começar de novo.

 

 

Responding to an invitation from Bamboo Magazine titled “Nomadic House”, intended to be transportable, dismountable and sustainable, we developed the project we call Bicho Nômade (Nomadic Bug).

The Nomadic Bug is a shelter designed to be assembled in several types of terrain that can be used as a one-room hotel, a mobile office or any other desired usage.

It was baptized as Bug inspired on the experiments of the Brazilian artist Lygia Clark that explored the relation between object and public; and Nomadic due to its ability to move, rotate and also reflect the surrounding climate and landscape.

Its mobility and flexibility are possible due to the system of articulations and pistons distributed along the roof that allow for a 360 overall rotation and also a complete expansion of the sheltered area by changing the composition of the structural and glass panels that compose the façade. This variety of movements allow the house to be used in a closed, half-open or completely open configuration in addition to creating a beautiful play with lights and shadows.

The Nomadic Bug intends to awaken the sensations and feelings of being sheltered in an infinite space. It allows for isolation and interaction, incites contemplation and romance and makes silence audible.

The Nomadic Bug must be stimulated so that all of its potential states of perception can be uncovered as it opens and closes, turns and moves, mounts and dismounts, stacks, moves on and starts over.